domingo, 26 de junho de 2016

Tenho saudades

É, vô... Faz quase um mês desde que você se foi e tá tudo bem menos colorido sem você. É difícil pensar que você não está mais do outro lado da linha, nem do outro lado da estrada. Eu pegava o carro, dirigia quatro horas e quando atravessava o portão do Morada das Árvores, eu era só alegria. A minha infância fez morada naquele condomínio e você e vovó Nufa, construíram um castelo no meu coração. É triste demais lembrar que mesmo que eu chegue lá agora, abra a porta do 102 e corra pro teu quarto, eu não vá te ver. É triste ver a casa vazia, a estante sem livros, o altar sem os santos, o bar sem os vinhos e o mundo sem você. Sabe aquele porta retratos que te dei no dia dos avôs há uns 3 anos atrás? Eu peguei da sua estante e o trouxe pra casa. Agora ele fica na minha mesinha de cabeceira e toda noite, antes de dormir, eu dou um beijo de "boa noite" na nosso foto. Eu sei que você já não precisa do meu "boa noite". Na verdade, quem precisa sou eu. Às vezes, eu choro no chuveiro pra minha mãe não ver e não ficar mais triste ainda. Às vezes eu não choro. Às vezes eu me lembro de alguma coisa e abro um sorriso enorme. Eu estou com seus escritos, vô e sempre que pego algum deles pra ler, meu coração se enche de orgulho de você. Você fez esse mundo caótico ser muito mais bonito. Um beijo na testa. Tenho saudades. Te amo. Rafa.

Nenhum comentário: