quinta-feira, 30 de julho de 2015

Sofrimento

Escrevi seu nome no ar com um incenso. Antes de terminar, seu nome foi embora com o vento. Em minha vida, tu és o tempo que me prega peças. A lembrança do meu sustento.  Gritei por ti em pensamentos, implorei você de volta e não ouvistes meus lamentos. Quis sentir de novo o teu alento, mas nada restou: só esse veneno, que me mata lento.

Nenhum comentário: