segunda-feira, 25 de junho de 2012

Enfim o amor voltou
















E o amor enfim voltou
Como a névoa que embaraça a vista
Como a fumaça que provém do fogo
Ele apenas veio

E o amor voltou, enfim
As borboletas voaram
As andorinhas cantaram
A poesia brotou de onde não tinha nem capim

A poesia não é descartável, porém
Mas é fina e clara
Há os que olham e não vêem
Há os que vêem com desdém

Há quem se planeja com ela
Há quem não saiba que tem
Há quem saiba e não ligue
Há os que ligam também

2 comentários:

Andrea Nobrega disse...

E como voltou!

Julia Thais disse...

Posso postar seu texto no meu blog? Eu irei colocar que retirei do seu blog.