quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Não é

Não é letra o que escreve o poeta.
Não é verdade o que diz o profeta.
Não é real o que vê o vidente.
Não é digno o que fazes. É indecente.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

O amor que tenho, está aqui

Farei uma canção
Pra te falar do meu amor
Pedirei-te perdão
E junto à carta, mandarei uma flor

Mas, meu bem
Não sei tocar violão
Escrever tão pouco
Como farei a tal canção?

Queria ter esse dom
Seguir junto a ti no mesmo tom
Ter o corpo coberto
Pela tinta do teu batom

Mas o teu corpo já não é meu
Teu peito já não bate tão só por mim
O amor que tive, aqui perdi
O amor que tenho, está aqui

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010


Sonhos amanhecidos não acordam, mas também não dormem.

domingo, 12 de dezembro de 2010

O que vem depois da última noite?

O que vem depois da última noite?
O que vem depois que nossos corpos
Se tocarem pela última vez?

Quem morrerá com o veneno do outro?
Quem se enfeitiçará pelos poderes do outro?

O que será que vem quando o dia amanhece?
O que será que tem além da manhã seguinte?
Qual o desejo que com o sol padece?

Quem morrerá com o veneno do outro?
Quem se enfeitiçará pelos poderes do outro?