segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Carta ao pai



Te entrego nas mãos Dele
Pra que fiques protegido
Te entrego em Seus braços
Meu pai querido

Quero te lembrar sorrindo
Num cavalo a galopar
Quero te ter pra sempre
Pra meus sonhos, iluminar

Que te pedir perdão
Se um dia te fiz sofrer
Quero ser ninada por ti
E em teu colo adormecer

Pega na minha mão
Quando eu for dormir
Fica ao meu lado
Eu quero te sentir

Segue teu caminho
Que a história está apenas começando
Fica com Deus
Que eu fico aqui rezando

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A dor que não é sua

Só quem sabe
O que é levar um tiro
É quem já levou

Só quem sabe
O que é chorar escondido
É quem já amou

Só quem sabe
O que é se arrepender
É quem já errou

Só quem sabe o que é saudade
É quem já teve alguém
Que o tempo levou

Você não sabe o que eu senti
Pois não foi você quem sentiu
Você não sabe o quanto sofri
Pois não foi você quem sofreu

Eu queria que você me amasse
Eu queria sumir
Eu queria que você soubesse
Mas a dor que não é sua, você não sabe

terça-feira, 19 de outubro de 2010

As pessoas sempre vão embora

Você me desiludiu
Tirou minhas esperanças
De um mundo normal
Você me desencantou
Me deixou sem moral

Amanha viajarei
Não te direi pra onde
Pra um lugar lindo, eu irei
Parto às onze horas
E não mais voltarei

Amanhã viajarei
Levarei minha mala
E minhas lembranças no trem
As pessoas sempre vão embora
E eu vou também

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

A parte que te sobra


Depois de tantos anos te amando
Nada a mim, restou
Depois de te querer tão bem, meu bem
Eu sou o não sou

Eu sou a parte que te sobra
Que sempre te sobrou
Eu sou a parte que você não quis
E que no chão, você largou

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

É fácil ter pulmão



É fácil respirar
Difícil é sentir o ar
É fácil cheirar
Difícil é ter lembranças que só o cheiro dá

Fácil é saber
Difícil é descobrir

É fácil dizer não
Difícil é dizer sim
É fácil ter pulmão
Difícil é ter coração

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Eu não morrerei

Eu viverei pelos meus livros
Em cada página, eu morarei.
Eu viverei pelos meus contos
Pelas coisas que conto
Em minhas letras, eu reinarei.
Mesmo que morra, não morrerei.
Leia meus livros
Lá, eu estarei.

domingo, 3 de outubro de 2010

Perdão

Perdoa-me por não te amar
Perdoa-me, meu bem
Por não te querer

Perdoa-me se um dia te fiz sofrer

Perdão
Perdão, minha querida
Por não querer você

Perdão
Mil vezes perdão
Mas tenho que te dizer: NÃO

Janela


És tu a janela da minha alma
És tu que eu olho
Além...
Nada

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Todos eles

Com Petrônio eu fiz amor
Com Luiz, melodia
Com Gustavo eu fiz tortura
Com Rubem, fiz poesia

Com Alfredo, fui à lua
Com Bentinho raiava o dia
Com André fiz uma música
Com a gente, ninguém podia

Com Gilvan escrevi um livro
Com Roberto até hoje aprendo
De Rodrigo fui bem amiga
De todos, só você eu lembro